…e resolvem fazer uma entrevista de 20 perguntas uma com a outra, só por diversão, falando sobre nossa geração, desejos internos, futilidades essenciais.

 

como tudo começou

nati para mari

eu não lembro como eu e a mari nos conhecemos, acho que foi pelo livejournal. acho que foi aos poucos, trocando comentários, e-mails curtos, bem lentamente. a mari era muito tímida, e acho que eu também, mas ao mesmo tempo o que a gente compartilhava dizia muito sobre ela de uma forma mágica e sutil. era um contato bem superficial no começo, mas que fazia sentido pra mim porque era algo pequeno e significativo no meio de tanto ruído da juventude.
trocamos cada vez mais segredos e definições sobre nossas vidas, e fomos vendo como tínhamos coisas em comum, inclusive o fato de que somos aquarianas! hahaha. é muito bom achar uma aquariana que seja uma aquariana como eu, e não aquela imagem estranha que as pessoas têm de aquarianos, que são seres super sociais, cheios de si e loucos para desbravar festas clubbers e tecnologias. hahaha nós nos identificamos com a quietude e a timidez, e tínhamos ao mesmo tempo uma insaciedade pelas respostas e descobertas da vida adulta.
nossos e-mails são muito importantes pra mim porque são uma luzinha de uma época da qual fui imensamente fã, a das cartas e e-mails longos. as pessoas faziam um esforço para escrever o que sentiam, seja lá onde fosse. troquei e-mails e tive amizades só por internet com muitas pessoas, mas a única que manteve esse romantismo e desapego às cobranças externas foi a mari. então, obrigada por isso! ela é muito melhor nesse aspecto do que eu, e devo a ela várias cartas que nunca consegui responder, mas que são sempre lindos lembretes de uma realidade que já existiu e já foi mais popular.

 

que tipo de mulher te inspira a ser o que você gostaria de ser, agora, no futuro, um dia?
mulheres que vejo e stalkeio internet afora (twitter, tumblr, facebook até), que são produtivas, criativas, ~empreendedoras~, que escrevem bem, sabem se expressar (seja lá de que forma for)
, que leem muito, sabem apreciar suas próprias companhias, são incríveis (e sabem disso!). são idealizações minhas, na verdade, porque nenhuma delas é assim o tempo todo. mas por isso mesmo elas me inspiram, porque além disso tudo ainda existe muita dor, muito caos, muitas tretas.

 

que característica sua, como mulher (menstruar, por exemplo), você gostaria de inverter em um super poder?
(que pergunta interessante!) menstruar seria uma boa, haha. acho que intuição, mas já é um super poder. e ser mãe e carregar um ser dentro de si, mas acho que isso também já é. e clitóris é um super poder por si só; meu(s) orgasmo(s). me identificar e me sentir mulher.

 

rotina matinal ideal
levantar quando e porque o corpo quis, devagar, se espreguiçando com gosto — olhar as cores, as nuvens e o sol pela janela (tem que ser uma grande, gosto de janelas grandes)— ir pra cozinha e preparar alguma bebida quente, botar na sua caneca preferida — ver notificações no celular — comer sucrilhos com leite vegetal — sair pra nadar (num lago, na piscina, no mar), voltar, tomar um banho — checar pendências e afazeres, responder e-mails, me perder em divagações, escrever, e deixar o dia rolar.

 

um filme que tenha muita relação com a nossa idade
life partners; obvious child, suponho, porque ainda não vi; her; frances ha; amantes eternos?; vidas ao vento… coloquei mais de um, porque sim. hah

 

frase favorita?
this too shall pass. mentira, não sei. tô há tempos querendo trocar minha bio do twitter por alguma frase que me represente, mas não consegui ainda.

 

uma fotografia que resuma sua vida agora

 

mariana t. k. natalia sanabria de mello

 

qual colaboração criativa você gostaria de fazer no futuro?
alguma que envolva acessórios (com tricô? em joias?); alguma que tenha a ver com escrita/livros; alguma que seja tecnológica/audiovisual/mídia.

 

5 futilidades que fazem seu bom humor
tumblr/twitter
pensei em comida gostosa, mas comida nunca é futilidade
usar batom de cor berrante
cantar sozinha
observar pessoas (e cachorros! mas acho que também não é futilidade)?

 

um dia da sua vida que você lembra com muito carinho
quando fui com minha ex-bff ver um show da mariana aydar no centro cultural, e a gente saiu extasiadas e andamos pela paulista lotada de turistas e gentes (era natal), e fiz vídeos durante o trajeto e pintei as unhas no ônibus por causa do trânsito. lembro de muitos passeios e andanças assim com muito carinho. aquela coisa de free spirit, liberdade, de amar ser quem eu era perto dela e de como ela me enxergava.

 

10 uma conquista pessoal que te dá orgulho
estar indo mais ou menos bem no roller derby.

 

11 o que você seria se não fosse artista?
programadora, desenvolvedora ux, ou algo super aleatório que me permitisse silêncio, não ter que lidar com muita gente, lugares interessantes, onde desse pra ficar observando pessoas.

 

12 que característica sua você mudaria?
pra não me estender demais: queria ser mais assertiva e menos medrosa. mais desapegada, solta e desencanada.

 

13 qual é o disco que mais te define?
não que eu queira, mas acho que you are free, cat power.

 

14 que atriz/ator interpretaria o filme da sua vida?
ellen page. ahahaha

 

15 qual é sua palavra favorita?
florescer é uma que vem à minha mente no momento.

 

16 o que você mais desgosta na nossa geração?
ansiedade generalizada, sofrimento banalizado, prepotência.

 

17 e o que você mais gosta?
~espírito empreendedor~, dramas compartilhados, estar em todo lugar o tempo todo.

 

18 um talento que você gostaria de ter
queria muitomuitomuito saber dançar bem. e tocar piano ou baixo.

 

19 nome de batom favorito?
ruby woo é o primeiro que me vêm a mente, mas não conheço muitos nomes de batons, certeza que todos são geniais.

 

20 o que você pensa sobre expor sua vida pessoal em redes sociais?
acho que existe uma grande oscilação entre papéis e personas e querer ser e ser, mas não como se elas fossem excludentes, é uma grande lambança prismática, haha, e eu gosto. gosto da gente poder se expressar e se mostrar como queremos, de camadas, nuances, da vulnerabilidade e da “solidão”, mas também da troca.

 

como tudo começou

mari para nati

tive que dar uma rápida lida nos nossos emails mais antigos pra (re)descobrir: tínhamos nos conhecido através do livejournal, o assunto era vestibular/faculdade, porque ambas estávamos terminando o ensino médio. ela foi fazer jornalismo, eu fui fazer curso técnico de vestuário, os emails foram crescendo, transformando-se em braços e extensões dos nossos próprios corpos em constante sintonia e dança, às vezes em amargor e desespero. nossos tlec tlec tlecs nos teclados viraram abraços, e com eles nós víamos a nós mesmas, refletidas, estranhadas, entranhadas, mas ali, presentes de alguma forma sutil e também potente. pausar alguns momentos diante das correrias & caos dos nossos cotidianos e digitar livremente parece um luxo (atualmente), mas é um luxo da qual não pretendo me desapegar em breve. a sensação é a de escrever pra mim mesma, mas para um eu-mesma que se encontra a quilômetros de distância, em outra cidade, em outra(s) situação(ões), mas também na(s) mesma(s), de todos os dias, do dia todo. faz sentido (resposta: SIM)? só tenho a agradecer efusivamente à nati e às outras pessoas que não sei por quê ainda respondem meus longos/curtos emails, ora entediantes, ora automáticos, ora verborrágicos, mas sempre tão necessários e importantes, pois têm uma gigantesca influência sobre quem sou hoje. juro, se pudesse imprimiria tudo que tenho em todas as pastas dos emails, só por medo de perdê-los algum dia… ♡

 

o que te atrai em selfies?
fiz um estudo ano passado sobre selfies para o site que foi uma surpresa pra mim mesma no final. me atrai o aspecto da expressão pessoal, de poder ser autora da sua imagem, do empoderamento. só fico pensando que as pessoas podiam explorar mais tudo isso e menos o narcisismo por si só, mas não sei, nada disso pode ser levado a sério.

 

qual foi/é a experiência mais legal que a internet te proporcionou/proporciona?
minha experiência mais legal com a internet é a que tive na minha adolescência, que me fez ser tudo que sou, querer ser tudo que quero ser. a internet é libertadora quando te tira do lugar onde você está. eu era muito infeliz na cidade onde eu nasci e vivi, não me sentia compreendida. isso me fez passar madrugadas a fio online procurando mulheres que me inspirassem, bandas e mais bandas, fotos e mais fotos de ícones femininos. eu também encontrei pessoas online que tinham gostos parecidos com os meus, e consegui passar a minha adolescência tendo uma autoconfiança que acho que não tenho mais. é engraçado, acho que fiz um caminho inverso. hoje em dia eu questiono tudo, vivo estudando sobre o comportamento humano, é algo que estou sempre lendo sobre. mas antigamente, eu simplesmente tinha essa autoconfiança de que eu era quem eu era e “doa a quem doer”. sim, fiz muitas besteiras, mas queria mais desse meu lado de volta. talvez ser adulto seja isso, né? um constante questionamento.

 

que personagen(s) fictício(s) te inspira(m)?
não consegui pensar em um personagem específico mas pensei em uma música do bob dylan, se chama she belongs to me. a letra me move e me inspira muito, e com certeza é sobre um personagem fictício, misturado com pessoas reais. eu também amo os personagens da katharine hepburn, e ela em si, claro. de novo, a presença da autoconfiança e do senso de humor.

 

o que você mais gosta em si mesma, atualmente?
estar cada vez mais independente, em vários fatores.

 

o que você aprendeu nos últimos dois anos?
aaaaaaah, tanto muda até você fazer 25…
uma das coisas mais marcantes que aprendi, com certeza é em relação a relacionamentos. acho que fiquei mais calma. eu era desesperada em tentar me comunicar, não perder ninguém, valorizar todo mundo ao meu redor, mas ter 20 anos é estar sempre tão vulnerável e instável que esses esforços não valem muito a pena. agora eu respeito mais o fluxo natural da vida, do vai e vem das pessoas e das situações. nos últimos 2 anos tenho aprendido a não ser tanto uma control freak (rs) e ser mais humilde, principalmente profissionalmente. com uma consciência cada vez maior de que tudo é muito pequeno mas muito essencial ao mesmo tempo.

 

você, sendo sua melhor amiga, que conselho daria a si mesma, hoje?
com certeza “diga mais não, se respeite mais, não se sacrifique tanto”. o que minhas amigas já falam pra mim há anos, e que eu acho que estou conseguindo colocar em prática de verdade só agora.

 

com quem você gostaria de conversar, e sobre o quê?
eu gostaria de conversar com a yoko ono! mesmo que ela me desse respostas vagas e aleatórias para as minhas perguntas super profundas, eu iria adotá-las como mantras na minha vida!

 

descreva seu quarto.
meu quarto é iluminado por um abajur (necessidade infinita, abajures), com as embalagens de tudo que guardo por aí (perfumes vazios e latas de chá) e que arrumo como decoração.

 

qual sua rede social favorita, e por quê?
instagram! porque tem fotos, o que é melhor que fotografias?

 

10 me indica um site?
hm, acho que todos os sites que eu gosto ou você mesma que me passou haha, ou você já sabe da existência. mas pensei que talvez você não conheça o blog da fotógrafa nirrimi. descobri ela pelo instagram e quando entrei no blog, me surpreendi. achei que ia ser mais fotos, mas não, ela escreve muito candidamente sobre sua vida e é muuuito bonito.

 

11 3 coisas que você quer/precisa comprar?
novo colar de pedra do sol
all star cano alto rosa
o primeiro homem mau da miranda july

 

12 a melhor coisa que uma pessoa desconhecida fez por você:
não consigo lembrar de nenhum ocorrido. :(

 

13 o que você acha de fazer amizades, hoje: é mais fácil do que em tempos passados, é mais difícil? por quê?
é bem mais difícil. quanto mais velhas as pessoas ficam, mais reservadas e céticas, não?

 

14 sua parte favorita do dia.
comer chocolate (todos os dias!!!!) vendo algum seriado ou filme.

 

15 de que maneira você acha que se expressa melhor? 
com certeza escrevendo. mas dançando é divertido também!

 

16 sua bebida preferida atualmente.
paris, um blend da caminho do chá, onde eu trabalho. é chá branco com peras e baunilha.

 

17 lista de afazeres dessa semana.
me mudar! hahaha cortar meu cabelo, comer melhor para ajudar a gastriste, ler mais, dormir mais.

 

18 o que te acalma?
nos últimos tempos o carrie & lowell do sufjan stevens e o haha sound do broadcast. chás funcionam também, principalmente os com baunilha. caminhar, ouvir crianças brincando, dormir com meu namorado, rir com as minhas amigas.

 

19 você tem algum tipo de ritual pra ir dormir?
tomar água?

 

20 quando foi a primeira vez que você sentiu que gostava de ser mulher?
nossa, difícil responder isso porque eu sempre gostei muito de ser mulher, dificuldades e respostas prontas à parte, é verdade. mas rituais ajudam e são sempre muito terapêuticos pra mim. hidratantes, máscaras pro rosto, velas cheirosas, se maquiar.

 

as perguntas e respostas foram trocadas entre os dias 4 e 30 de junho de 2015.