hermine van dijck é designer têxtil, vive na bélgica e seu blog caiu no meu reader faz algum tempo. mais do que me sentir atraída por seus trabalhos de tecelagem, cheios de cores e formas, o difícil é deixar de me instigar pelos seus registros fotográficos do processo artístico/criativo, em que aparecem seu cotidiano – meu tema preferido pra fotografias, aliás. tudo é leve, inspirador e fluido. como se tivesse um tempo ou ritmo próprios, só dela. cada foto (detalhes dela andando de bicicleta, tomando café, escrevendo) me parece um frame de um filme (até porque são aparentemente banais, simples e até repetitivas), daqueles que a maioria acha lento demais, diz que “nunca acontece nada”. claro, porque a sacada é enxergar a beleza nas “minúsculas” coisas, e nisso, nossos olhos absorvem com calma as sutilezas da repetição, do dia a dia, de algo que se move pouco a pouco, va ga ro sa men te.

 

hermine van dijck livro hermine van dijck projetosretrato hermine van dijck com pilhas de tecidos

 

como se não bastasse, ela tem um projeto de correspondência em que ela registra por meio das fotografias cartas (fotos, desenhos, pedacinhos de tecido, flores, que as acompanham) que ela escreve e recebe. eu, sendo apaixonada por cartas assim como ela, toda vez me preencho de uma sensação que mistura amor, inspiração, vontade, inveja, imaginando a alegria que ela sente toda vez que vê os envelopes. esse projeto acabou se tornando parte de uma exposição e as cartas foram colocadas nas paredes. lindeza (queria muito ter visto pessoalmente!).

 

foto de cartas do projeto de correspondÍncia de hermine van dijck

 

por mariana t. k.