não me lembro quando foi a primeira vez que vi um trabalho da irana douer, ilustradora argentina nascida em 1984. mas lembro muito bem da imagem: o rosto de uma menina de cabelos cor de fogo, olhos fechados, boca manchada de batom, nariz sujo de sangue. na época, pensei ser só uma ilustração bonitinha. deve ter sido em alguma dessas revistas que costumava folhear naqueles tempos agora um tanto longínquos.

 

arte de rosto feminino por irana douer

depois, fui trombando com vários outros trabalhos e reconhecendo seu traço, de modo que, assim que via um, já sabia que era dela. se vocês conhecem o trabalho dela, sabem do que estou falando. fui acompanhando pelo flickr. me surpreendia cada vez que aparecia coisa nova, como a série em gravura, por exemplo.

gravura de rosto feminino por irana douer

gravura de rosto feminino

gravura de rosto feminino

gravura de rosto feminino irana douer

 

gravura de rosto feminino por irana douer

irana doueressas cores, colocadas à mão posteriormente, são lindas e quase etéreas. aliás, suas personagens, sempre na forma feminina, me remetem a coisas misteriosas de natureza meio indecifrável mas muito reais e intimistas. elas não sorriem, às vezes possuem desenhos pelo corpo (o que me lembra de colocar aqui que uma das minhas tatuagens foi inspirada num desenho dela), mas parecem ter um senso de tudo que acontece e existe às suas voltas. ao mesmo tempo em que todas parecem ser uma só, elas também têm um quê de cansaço, de melancolia (além de vários mistos de sensações e emoções, eu diria), temas que me atraem por serem de minha própria experiência pessoal e cotidiana. me fazem pensar que gostaria de tê-las como amigas, pra saber o que fazem, pensam, bebem, dizem & etceteram.

ah, ela também edita uma revista de arte online, com artistas desconhecidos-conhecidos pelo mundo todo.

 

por mariana t.k.
olho–roxo / mtk